Política de Privacidade e Proteção de Dados Pessoais

A presente Política de Privacidade e de Proteção de Dados Pessoais explicita os termos em que a LACTAÇORES – União das Cooperativas de Lacticínios dos Açores, UCRL procede ao tratamento de dados pessoais dos seus Colaboradores, Clientes e Fornecedores, bem como os direitos que estes podem exercer, de acordo com o disposto no Regulamento (EU) 2016/679 do Parlamento Europeu e do Conselho – Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (RGPD) – e restante legislação nacional aplicável em matéria de privacidade e proteção de dados.

A privacidade e a proteção de dados pessoais são um dos nossos compromissos, com o novo Regulamento Geral sobre a Proteção de dados.

Encarregado Proteção Dados

A LactAçores está a executar os devidos procedimentos de modo a garantir o processamento de dados em segurança e de acordo com as exigências legais para o processamento de dados, tendo designado um responsável pela Proteção de Dados com o qual poderá contatar endereçando questões relacionadas com a proteção de dados pessoais, através do endereço de email: lactacores@lactacores.pt ou por carta dirigida à morada da sede social da LactAçores, sita no Largo das Arribanas, Arrifes, 9500 372 PONTA DELGADA sobre a política de dados conforme o regulamento acima descrito.

Conservação de Dados Pessoais

Os dados pessoais recolhidos e tratados pela LactAçores serão preservados por períodos diferentes, de acordo com a finalidade a que se destinam e tendo em conta os critérios legais, ou enquanto decorra a relação contratual.

Os seus direitos

Ao abrigo do Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados, os nossos Colaboradores, Clientes e Fornecedores têm o direito de solicitar à LactAçores o acesso, a retificação, a portabilidade, a limitação, a oposição e o apagamento dos seus dados pessoais sem, no entanto, comprometer a licitude do tratamento até aí efetuado e sem prejuízo da existência de um outro fundamento legal que legitime o tratamento em questão.

Sem prejuízo do supra exposto, pode ser apresentada, a todo o tempo, uma reclamação junto da autoridade e supervisão – Comissão Nacional de Proteção de Dados, no que respeita ao tratamento dos seus dados pessoais.